Comecei a namorar na Índia

namorando um angolano

Mas Djulie como assim tu já está namorando na Índia? S-I-M! E foi tipo aquelas histórias de filme meloso que a gente assiste quando está na TPM sabe? Mas deixa eu explicar direitinho o enredo de como comecei a namorar na Índia.

Dias antes de eu me mudar pra Gurgaon, fui na festa de uns amigos africanos (lembra que falei ter ficado muito próxima deles) com a Tânia. Foi aí que comecei a conversar com o Tino, a gente na verdade já se conhecia das festas mas nunca chegou a ter uma conversa além do “oi tudo bom”. Papo vai e papo vem, percebemos que tínhamos muitas coisas em comum e eu como sou o tipo de pessoa que se atrai por homens com um papo cabeça, pronto, ficamos! Mas não imaginávamos que seria tão intenso, acabamos passando o final de semana juntos e os próximos também. Tudo foi acontecendo tão rápido e quando vimos estávamos muito envolvidos. Foi então que na terceira semana juntos ele me pediu em namoro. Na hora eu achei que ele estava brincando, mas não, repetiu várias vezes que ele nunca tinha falado tão sério em toda vida dele. Eu, cânceriana melosa com vênus em câncer me derreti toda e óbviamente aceitei!

sosseguei 🇧🇷💕🇦🇴

A post shared by Djulie Ferreira (@djulieferreira) on

Eu só esqueci de contar que ele não é indiano né! O Tino veio da Angola estudar aqui na Índia e sim ele também fala português (com aquele sotaque de Portugal delícia), o que de certa forma facilita muito na comunicação, apesar de que temos gírias e dialetos totalmente diferentes.

Brincadeiras a parte hoje já fazem dois meses que estamos juntos e nem imaginamos como tudo isso aconteceu tão rápido. Uma vez me disseram que o amor vem para os despercebidos, quando menos esperamos estávamos apaixonados e simplesmente não conseguimos ficar longe um do outro.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *